MULTAS PARA PEDESTRES?
 

 

MULTA PARA PEDESTRES

Jacy de Souza Mendonça


Autoridades anunciam punição a pedestres que atravessarem as ruas fora das faixas destinadas a esse fim.

A medida é em princípio correta e prudente, como forma de proteger os próprios pedestres que perderam o amor à vida ou que transferiram a responsabilidade de zelar por ela a seus anjos da guarda ou aos motoristas de veículos. É, de fato, alucinante, para quem dirige veículo automotor, ser obrigado a brecar ou desviar o veículo abruptamente porque um pedestre despreocupado consigo mesmo atravessou-se à sua frente. Alguns chegam a oferecer-se à imolação, como desafio aos motoristas.

No entanto, algumas questões precisam ser respondidas: em primeiro lugar, onde se encontram os fiscais que serão encarregados dessa tarefa. Das ruas eles desapareceram há muito tempo e não é crível que estejam atrás das mesas de trabalho burocrático em suas repartições. Em segundo lugar, como pedestres não costumam usar placas de identificação, precisarão ser parados e fornecer todos os dados de identificação passarão a ser obrigados a ter consigo algum documento de identidade? Entrarão em fila para serem submetidos à fiscalização e autuação? Ou haverá caixa para pagamento no ato?

Em segundo lugar, pergunta-se como será feita a cobrança. Serão emitidas autuações? Haverá boleto elaborado, na hora ou depois, para viabilizar o recolhimento da multa? Chegaremos também a criar uma Carteira de Pedestre, na qual sejam registrados os pontos do infrator? E que fazer quando ele atingir o máximo de pontos permitidos? Será impedido de andar pelas ruas?

Mas há um problema ainda muito maior: grande parte de nossas ruas não têm calçadas pelas quais seja possível ao cidadão normal andar. Se tiver alguma dificuldade de locomoção, em razão da idade ou deficiência psicofísica, não poderá mais sair de casa?

É simplesmente ridículo! Nossas autoridades não têm o que fazer ou não sabem o que devem e podem fazer. Por isso ficam inventando obrigações para os cidadãos, definidas no limite da inteligência deles.

Como foi escrito acima, o procedimento dos pedestres entre nós é de fato tresloucado e precisa ser corrigido. Chegam ao ponto de fazer a travessia das ruas a pouquíssimos passos da faixa, parecendo que desejam apenas desmoralizar a existência de normas.

O caminho de solução desse problema só pode ser encontrado a partir da educação, de preferências nos primeiros meses da escolaridade mas sobre isso ninguém fala. As crianças ensinarão os adultos a proceder corretamente.

Enquanto as autoridades não perceberem o rumo correto de solução desse e outros problemas, permanecerá o caos no trânsito, enfeitado por normas que ninguém cumpre nem cumprirá.