AfD QUER A VICE-PRESIDÊNCIA DO BUNDESTAG
 

 


Polêmico opositor ao Islam é candidato à vice-presidência ao Bundestag

Por Der Spiegel

22 de outubro de 2017

AfD insiste em Glaser e quer mais sua presença em votações. Cabe a cada bancada parlamentar fazer indicações à presidência do Parlamento e para isso, o candidato precisa de uma maioria. Contra o político do AfD surge uma grande resistência, porém o líder da bancada do partido, Alexander Gauland, quer polêmica.

A “direita populista” do AfD está trabalhando para conseguir a presidência do Bundestag, na terça-feira, em uma confrontação direta com as outras bancadas parlamentares.

O partido planeja apresenta como candidato, o polêmico deputado federal Albrecht Glaser para ocupar a vice-presidência do Bundestag. “Caso ele fracasse na primeira eleição, lançaremos Glaser novamente como candidato”, afirmou Gauland ao Bild am Sonntag.

Já logo após as eleições para o Bundestag, SPD, FDP, Verdes e outros partidos de esquerda, declararam no Bundestag, que não elegerão Glaser devido às suas posições contra o Islam, a qual fere  a liberdade religiosa. Cada bancada parlamentar pode competir ao cargo de vice-presidente no Parlamento, porém os candidatos precisam alcançar uma maioria.

Gauland: Glaser representa a oposição do AfD
 

Glaser não reconhece o Islam como religião e diz que os muçulmanos não combinam com a liberdade religiosa ancorada pela Constituição alemã. Ele caracterizou o Islam como sendo mais uma ideologia política do que religião. Gauland disse que Glaser representa uma posição ao Islam da qual demonstra a opinião de todos do AfD.

Os suplentes à presidência do Bundestag serão eleitos durante reunião realizada no Parlamento. Semelhante ao ano de 2005, o “Die Linke” tentou fazer com que o deputado federal Lothar Bisky, fosse eleito vice-presidente do Bundestag. O mesmo fracassou 4 vezes.

A chefe da bancada do SPD, Andréa Nahles, reclamou sobre a declaração de Glaser à respeito do Islam. “Nós não elegeremos ninguém que não respeita a nossa Constituição”, afirmou Nahles ao Bild am Sonntag. Ela escreveu uma carta para Glaser perguntando-o se ele ainda mantém sua opinião sobre a declaração dada. “Ele até agora não respondeu”, disse a política do SPD.

É muito desconcertante quando um parlamentar que deveria representar todo o Parlamento alemão, já ser rejeitado, nos momentos iniciais. “Isso contradiz todas as regras de uma Parlamento”, afirmou Nahles.

O jurista Albert Glaser nasceu no início do ano de 1942, na cidade de Worms e teve uma longa carreira política municipal quando era do CDU. Foi prefeito da cidade de Waldbronn, no estado de Baden-Württemberg e entre 1997 e 2001 esteve na Câmara Municipal de Frankfurt.

Com o chamado FUNDO GLASER, um negócio ligado a riscos de investimentos, ele causou a perda de milhões para a cidade de Frankfurt, durante a crise financeira de 2001. Esse caso persegue Glaser até os dias de hoje.

Glaser rompeu com o CDU após 42 anos de participação no partido. Esse fato ocorreu, após críticas à Ângela Merkel, no ano de 2012. No decorrer do mesmo ano, Glaser se juntou ao recém criado

Tradução: Márcio Alexandre - http://www.ma-traducoes.webnode.com