ALEMANHA: AS OPINIÕES DE FRAUKE PETRY
 

 

Petry sobre os Verdes, União Européia e Política de asilo

Por Detlef Kossakowski

EPOCH TIMES DEUTSCHLAND


28 de julho de 2017 

“Porque não construir logo uma ponte?”, ironizou Frauke Petry

Em entrevista dada pela manhã à DEUTSCHLAND FUNK, a candidata do Partido Verde à chanceler da Alemanha, Katrin Göring-Eckardt, teceu fortes críticas à política de imigração de refugiados da União Européia, ao lado da chefe do AfD, Frauke Petry.

Em um comunicado à imprensa, elas afirmaram concordar em um ponto: “No fundo, no fundo, a situação não está melhor do que em 2015”. Petry afirmou em nota, que se os Verdes forem eleitos, isso significará mais refugiados na Europa.
Göring-Eckardt sugeriu que as atividades de “coiotes”, que fazem a travessia ilegal de pessoas, precisam ter suas atividades impedidas, e que deve haver uma preocupação com as pessoas que são encontradas no meio do mar. Ela completou: “Podemos também falar em cotas, isto significa dizer que, as pessoas precisariam aguardar pelo menos por uma perspectiva segura. E de que também, nos certifiquemos, de que elas realmente estão chegando pelo mar”.

Petry: “Porque não construir logo uma ponte?”.

 Petry foi irônica. “Critério de seleção? Negativo, nem pensar!”

Por mais que seja algo tão grave, uma pergunta irônica foi inevitável: “Porque não construir logo uma ponte?”

Em relação à proposta de distribuição homogênea dentro do Estados participantes da União Européia, Petry se manteve numa posição contrária. Göring-Eckard sabe bem que, não são poucos os países que têm consideráveis motivos em resistir a tal propósito. Ela sugeriu: “É preciso que nos sentemos e permaneçamos juntos até que haja uma solução para isso. E se essa solução não existir, então, será necessário também ter que ajamos com uma alavancagem financeira”.

Tentativa de chantagem entre os participantes da União Européia é realmente um absurdo

Petry, de acordo com seu ponto de vista, diz que está segura de que há indicações de tentativas de extorsão dos participantes da União Européia e que isso é algo realmente insensato e absurdo. Para a política do AfD,as propostas de Göring-Eckard  podem significar conseqüentemente, nada mais que uma importação desenfreada dos problemas do 3º mundo para a Europa. O resultado previsível para a sociedade como um todo, seria a sobrecarga do Sistema Social, do qual se conhece hoje.

Um golpe de machado na parceria da União Européia
 
Com isso, a parceria com nossos vizinhos europeus está sendo atacada com golpes de machado, um tipo de liquidação em massa, do qual não se quer endossar, e em conseqüência, provocam-se mais debates jurídicos.

As sugestões de Göring-Eckard são medidas de repressão e penalidades, das quais são meio inadequadas, e pelo contrário, não soluciona um único problema na África ou em outras regiões de origem dos migrantes.  

Frauke Petry disse: “Agindo desse modo, criam-se novos, pequenos ou grandes, centros de crise na Europa e no meio de tudo isso, estamos nós. Diariamente os fatos são mostrados em grande quantidade pela mídia”.

Tradução: Márcio Alexandre